5.01.2016

MADEIRA ISLAND, PORTUGAL



VIAGEM // Hoje em dia é cada vez mais acessível viajar para as ilhas portuguesas através das companhias low-cost, e para esta viagem optamos pela easyjet que combinava os melhores preços ida e volta. A duração da viagem é cerca de 1h e 40min, o que passa bastante rápido. O aeroporto do Funchal fica a cerca de 20km do centro e é conhecido por ser bastante pequeno e pela sua estrutura inovadora sobre o mar, e embora isso possa parecer um bocado "assustador", as viagens correm sempre bem apenas com um pouco mais de emoção (haha)! 


ESTADIA // Como fomos numa época alta (Festa da Flor), planeamos a viagem com bastante tempo de antecedência para conseguirmos bons preços como também uma boa estadia. No nosso caso ficamos exactamente no centro do Funchal, no Esmeralda Holidays Apartements que abriu apenas em 2014 e já conta com avaliações excelentes no booking, escolhemos dois estúdios com kitchenette, simples mas bastante completos, modernos e confortáveis. 



TRANSPORTE // Optámos por alugar um carro através das promoções/parcerias da easyjet para podermos explorar a ilha à vontade por nossa conta, mas é preciso ter em conta que é necessário ter alguma perícia para se conduzir nas estradas madeirenses que são extremamente inclinadas, outra questão a ter em conta é também a falta de estacionamento no centro do Funchal (isto dito mesmo por locais!) portanto foi-nos sempre impossível ter o carro perto de casa. Mas existem imensos autocarros turísticos e não turísticos pela ilha do Funchal, se alugar carro não for opção, e igualmente táxis que aliás acredito ter visto mais táxis que carros pessoais. 




CLIMA // A Madeira tem um clima considerado subtropical devido à sua elevação, o que na maioria dos casos resulta em férias com bom tempo mesmo que em Portugal Continental esteja péssimo (como felizmente aconteceu em Abril!), mas de qualquer forma aconselho sempre a consultar a meteorologia antes de viajar para conseguirem planear bem a mala!



GASTRONOMIA // A Madeira tem inúmeras especialidades gastronómicas, em que muitas delas podem, cada vez mais, ser provadas no Continente mas a experiência nunca é a mesma! E das que eu tive o prazer de experimentar valeram todas muito a pena - espetadas em pau de louro, bolo do caco com manteiga de alho, bife de atum, mini bolachas de mel de cana de açúcar da Fábrica de S. António, e quanto a bebidas, o óbvio - Brisa e Poncha!